Projeto

Projeto Ensinando a Aprender

Um projeto que pretende a entender a educação como um investimento imprescindível, uma força capaz de tornar rica e próspera uma nação, outrora miserável.  

A educação é um bem de valor inextirpável do indivíduo. Por mais desprovido de riquezas que ele seja, ainda assim, terá como legado a oferecer um bem valiosíssimo, intangível sim, mas de valor incomensurável.

No mundo atual, os pais, os alunos, a escola global fazem do conhecimento, mais do que em qualquer outra era da humanidade, a mola da libertação, a mãe do desenvolvimento. A conquista da cidadania plena tem sua origem em uma infinidade de pesquisas, de meditações e de saberes. Segundo Sócrates saber é poder definir, sendo definir a capacidade de dar definição, decidir, expor com precisão, explicar aquilo que se aprende, ou seja, perpetuar o que se conhece.

Essa definição pode ser própria ou de terceiros.  
Se própria, deve vir construída sobre uma linha de raciocínio inteligível, devidamente fundamentada para que possa ser difundida e até mesmo criticada.
Se de terceiros, deve oferecer a quem aprende elementos que possibilitem uma cognição razoável e também inteligível tanto
daquilo que ele está aprendendo, como daquilo que ele deve aprender; deverá, então, haver uma sinergia pró-ativa entre professor e aluno, de tal forma que aquele primeiro possa de forma prévia perceber se está ou não alcançando seus objetivos, ou seja: EDUCAR.

O projeto pretende contribuir para que o professor se utilize de subsídios práticos e teóricos postos à sua disposição para cumprir sua missão de educador. À luz da Lei de Diretrizes e Bases da Educação – L.D.B, auxiliar as escolas, quer  da rede Municipal, Estadual ou Federal, na interpretação e no alcance do espírito do legislador ao criar e, recentemente atualizar a referida lei e seus objetivos.

Debater seus princípios, conceitos, deveres e organização concomitantemente sob as óticas do professor e do aluno, na crença de serem eles metades iguais, ainda que simetricamente opostas, de um processo que, com o avanço linear e contínuo, resultará eventualmente em uma união conciliável e sobretudo harmônica.

Dinâmica de aplicação do curso:

Painéis de debates:

  1. Crítica ao modelo atual;
  2. Fatores internos e externos que influenciam no resultado pretendido “educar”
  3. Pais e alunos globalizados e politizados;
  4. O professor e a escola global;
  5. O pai global;
  6. A libertação do pensamento (aluno e professor)
  7. Formação do generalista
  8. O jovem que o mundo espera
  9. O jovem que o mundo deve esperar
  10. O professor como sujeito ativo do processo de seleção do aprendizado;
  11. Sujeição passiva ao processo de aprendizado;

O curso será aplicado em regime de IMERSÃO em um sítio durante 2 (dois) dias, em número  de 30 (trinta) alunos, divididos em 3 grupos de 10 (dez)

  • Grupo 1 – Equipe Vermelha;
  • Grupo 2 – Equipe Azul;
  • Grupo 3 – Equipe Verde;

 O curso é alternado entre atividades internas e externas, objetivando o contato com a natureza como forma de libertação dos pensamentos e estímulo dos sentidos. As equipes terão tarefas para desenvolver durante os dois dias de curso e, ao final, deverão apresentar um modelo conceitual próprio e expor à turma na função de professor, utilizando como alunos os demais participantes. No final de cada módulo, os grupos debaterão sobre os resultados do curso.

Participe você também!

3 + 10 =

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *